Se quiser, venha comigo. Vou lhe contar uma história. Vou lhe mostrar uma coisa...

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Ok, há algo errado comigo. Já entendi...


É como se o mundo tivesse parado e eu tivesse me anestesiado. Já tentei iniciar a postagem 6 vezes (6 vezes em vão). A primeira começava de uma forma que não me agradava (revoltada demais talvez), então tentei amenizar as palavras. As outras 5 veses também não me agradaram... Pra falar a verdade, nem sei o porque. Agora resolvi não começar. Muitas coisas não têm início, de fato. Pra ser bem franca, não era dessa forma que gostaria de iniciar o post... todavia não irei apagá-lo como fiz nas 6 vezes anteriores. Por que minha cabeça insiste em doer? Por que esse silêncio insiste em me corroer? Não consigo extrair algo bom disso tudo, definitivamente. Não consigo entender por que está acontecendo, nem o que. Eu não sinto mais vontade de sair, de ver outras pessoas, tampouco de sorrir para elas. Sinto que aqui não é meu lugar. Todas essas pressões, essa turbulência, essas falas repetitivas, esses conselhos iguais, essas promessas falsas, essas músicas passadas. Me sinto numa bolha, em um espaço que não estou aceitando visitantes. Me disseram que a falta de pessoas (com quem eu possa desabafar, abraçar, conviver etc) é o que me está causando tudo isso. Estranho é: se é a falta de pessoas que me causa isso, por que eu tento me afastar das poucas que ainda tenho por perto? Me sinto a pessoa mais idiota do mundo ao descrever meus sentimentos, porque não vejo traços parecidos nos outros. Eles me olham com uma cara de 'HÃ? VOCÊ PRECISA DE TRATAMENTO!'. Não me vejo em uma clínica, consultório e afins, contando da minha vida e meus desesperos para uma pessoa que não conheço. Não aprendi ainda a lidar com sentimentos falados. O máximo que consigo é escrever. Porém, nos últimos dias nem escrever estou conseguindo mais. Dentro de mim parece haver um grande silêncio, mas não um silêncio comum. É daqueles silêncios barulhentos, cheios de gritos desesperados para sair. "É só uma crise. Uma fase ruim que va passar!". Sabe, cansei desse clichê, dessas frases prontas, de todos bancando psicólogos sem ao menos poder sentir o que se passa aqui. Sei que no fundo estão falando: "Poxa, essa menina é louca! Nunca se contenta com nada. Deveria estar contente por ter dois braços, duas pernas, poder escutar, enxergar, andar, etc etc etc". Há braços, pernas, sentidos, porém há um vazio. Um espaço. Um buraco que parece não ter fundo. 

Ok, há algo errado comigo. Já entendi...




PS: O vídeo é da série Kyle xy (minha preferida). Uma das únicas coisas que estão salvando o pouco que ainda resta da minha sanidade mental e interesse por alguma coisa atualmente. Então é isso...

...POR ENQUANTO.

4 comentários:

  1. Eu já fui como você, e acredite, conversar com minha psicologa me ajudou, e muito..
    Acho que já está na hora de você procurar ajuda, isso é normal, todo mundo faz isso, acho que chegou seu momento.. SE cuida =**

    ResponderExcluir
  2. Olá Jéssica...

    Sem inspiração ou com raiva de não sei o que??? Que tal se eu te disser que meu post 158 tá falando justamente sobre isso...também acontece comigo. Vá lá dar uma olhada e faça de conta que meu post é mais um comentário que deixo aqui. Um beijo enorme, garota__eu vejo vocÊ

    ResponderExcluir
  3. E difícil alguém que te entenda
    Se você ñ consegue escrever aquilo
    que tanto te machuca

    ResponderExcluir