Se quiser, venha comigo. Vou lhe contar uma história. Vou lhe mostrar uma coisa...

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

     Sempre foi difícil pra mim ser filha única. No começo não era tanto, já que eu morava junto com minhas primas e elas sempre me fizeram compania. Mas o tempo passa, as pessoas crescem. Elas cresceram [muito antes que eu!]. Não digo crescer de "crescer", mas digo de resolver suas vidas, de tornarem-se independentes e livres. Enfim, elas cresceram, amadureceram, se formaram, estão trabalhando, namorando, viajando, se divertindo, vivendo o seu "amadurecimento". E eu? Bom, continuo aqui. Não que eu não tenha amadurecido, mas são mundos totalmente diferentes agora. Elas saem com outros amigos, com seus namorados, com suas novas vidas. 
Minha vida continua velha. 
Isso me deixa triste. 
     Não pelo fato delas estarem felizes, porém pelo fato de me sentir só. Sinto falta de falar com alguém. Não só pela internet, não só por telefone, não só um desconhecido que me oferece um ombro amigo por dó. Eu sinto falta de alguém que me conheça, alguém que saiba meus sentimentos só de olhar, alguém que saiba como me fazer rir, que sente ao meu lado e fique cantando músicas toscas, que conte piadas idiotas e que me faça cócegas, que não me deixe só, que não me faça promessas que não possam ser cumpridas, alguém que não diga que vai lá em casa amanhã e me faça ficar esperando sem aparecer. Sinto falta de alguém assim. 
É tão raro, é tão difícil. 
Até hoje foi apenas impossível.
     Pode ser fácil pra você, pode parecer ridículo tudo isso. Então tá. Entre no seu quarto, fique lá o dia inteiro sem falar com ninguém, sem abrir a porta. Um dia pode parecer tranquilo, não é? Então faça isso durante O2, O3, O4 anos seguidos, todos os dias. Poderá ter uma prévia de minha vida. E não é exagero! Continua achando? Problema é seu! Vá sair com seus amigos legais e sociáveis que não fará diferença pra mim. Pois continuarei aqui. A esperar. Sempre a esperar. 

 

Indicação de hoje: Roda gigante- Rosa de Saron *-*
 
Sinto um cansaço que me tira a paz
Finjo e disfarço mas não agüento mais
Medos e angústias se sobressaem
Sinto sua falta as minhas lágrimas caem
 
Fui preso numa roda gigante
Que insiste em rodar
Me consumindo a todo instante
Preciso me libertar

Vejo o tempo escorrendo pelas minha mãos

Não consigo dar descanso pro meu coração
Centenas de detalhes corroem o que sou
Preciso de um caminho saber aonde vou

 
Só Rosa de Saron? Só! Não gosta? 
Vá procurar um blog que indique coisas melhores [fato!]. 
Puts revolts hoje, beijooos :*



Nenhum comentário:

Postar um comentário