Se quiser, venha comigo. Vou lhe contar uma história. Vou lhe mostrar uma coisa...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

"É relaxante, confortável, 
saber que quem amamos estão dormindo nas suas camas,
onde nada as pode magoar."

      Eu poderia estar chorando agora. Se eu parar pra pensar em tudo o que aconteceu, o que acontece e o que não vai acontecer nunca, e se isso fosse há um mês atrás [quando eu sabia onde estavam minhas lágrimas] eu choraria. Mas não é um mês atrás, e hoje minhas lágrimas estão mais escondidas do que nada. Eu poderia reclamar de tudo aqui: da minha vida intediante, das minhas viagens que não dão certo, das minhas frustrações amorosas, do meu cabelo ruim, da minha cara cheia de espinhas, do fato da minha mãe estar doente, de não ter tido uma festa de 15 anos, nem uma formatura, de ter ido mal na prova da ETEC, de ter sido burra o bastante pra ser enganada por O4 meses, por nunca ir nas festas que me convidam, por ser tão boba, me preocupar tanto com as coisas e com pessoas que não merecem. A única coisa que me conforta é saber que as pessoas que eu amo estão bem. Isso sempre foi mais importante pra mim. Mais do que eu mesma. É bom saber que minhas amigas estão trabalhando e estão felizes. Bom saber que está tudo bem com elas. E quanto a mim? Não sei se estarei feliz um dia pela minha própria felicidade. 

Mas aos poucos já me acostumei com isso.

Um comentário:

  1. É sempre assim, se chora tanto que acaba perdendo as proprias lágrimas, como se do vazio interior não tivesse mais nada...

    ResponderExcluir