Se quiser, venha comigo. Vou lhe contar uma história. Vou lhe mostrar uma coisa...

domingo, 26 de setembro de 2010

-

Antes as pessoas mandavam cartas. 
De amor, de amizade, de agradecimento, de desculpas. 
Hoje, não mandam mais.


Talvez o amor tenha acabado, ou ele permanece mas de uma outra forma. Um forma que, sinceramente, não consigo entender. Não que não exista amor em depoimentos apaixonado no orkut, ou em mensagens em celulares, carros de som, etc. Mas e as cartas? E aquela ânsia em escrever tudo certo, aquelas mil folhas rasgadas por achar que não estava bom o bastante, aquele perfeccionismo de escrever com uma letra perfeita para agradar o seu amor? Onde fica tudo isso? Sinto saudades das cartas. De escrevê-las e recebê-las. Porque as cartas parecem ter mais sentimentos, mais importância, mais amor. E elas durarão para sempre, para aqueles que as guardam, para aqueles que correspondem o amor com que elas foram escritas.  Tive vontade, e ainda tenho, de escrever cartas. Mas seria ridículo? Não sei.

Talvez o amor seja ridículo. 
Escrever cartas deveria voltar a ser parte dele.
Que voltem as cartas. 
Que volte o amor.

Um comentário:

  1. Ah eu gostaria se recebesse uma carta sua amor!!
    Pois as cartas não vem só com as palavras que uma pessoa escreve,vem com sentimentos sinceros que nem a borracha e o branquinho tem capacidade de apagar!!!
    Te Amo Jéssica

    ResponderExcluir