Se quiser, venha comigo. Vou lhe contar uma história. Vou lhe mostrar uma coisa...

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

 E hoje eu sinto dor. Na cabeça, no corpo, na alma.

Ela não tem cor, não tem cheiro, não tem explicação. E essa dor incomoda, perturba. Se todas as dores fossem como essa, não gostaria que alguém além de mim pudesse as sentir. É uma dor que me arrasta pro lado estranho e denso, que me consome por dentro, enquanto por fora eu ainda pareço bem. E nem palavras de incentivo, nem companhias alheias conseguem arrancá-la de onde ela se instalou. Ela continua imóvel, como se um sopro a tivesse congelado lá. 

E ela gostou de mim. 
Deve ser por isso que não quer ir embora tão cedo.
Acho que já estou me acostumando com ela.

2 comentários:

  1. Não se acostuma não... aí ela não vai embora.
    Não é só você que sente essa dor... e elas sempre gostam de nós.

    ResponderExcluir