Se quiser, venha comigo. Vou lhe contar uma história. Vou lhe mostrar uma coisa...

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Eu sempre quis ter uma casa na árvore. Acho que aqueles filmes americanos me iludiam. E eu sonhava em construir uma, apesar de não ter uma árvore no quintal da minha casa, rs. Eu pensava que quando estivesse triste, correria pra lá, levaria um cobertor e um monte de gibis e ficaria lá até sentir vontade de sair. Seria como um refúgio, um lugar só meu, de mais ninguém. E não importa a idade, sempre procuramos um refúgio: ás vezes em alguém, ás vezes em algum lugar. O meu refúgio era meu sonho de uma casa na árvore. Com o tempo esse refúgio tornou-se alguém, alguém que não estava lá quando eu estive triste, alguém que não aceitaria me receber com cobertores e gibis. E agora torno a sonhar com minha casa na arvore, mesmo que tenha que plantá-la no meu quintal e esperar anos pra que ela cresça. (:

2 comentários:

  1. Coloquei minha leitura aqui em dia Pinguin!
    Li todos os outros desde meu último comentário =D
    Vendo as tuas postagens, da pra comparar com as minhas quando eu tava na mesma época de blog que você. Os primeiros 50 posts da pra comparar igualzinho com a tua forma de escrever *__* Sêmos irmãos de escritura!
    (??)
    uahauhauahua
    EU também queria uma casa na árvore, mas moro de aluguel UAHAUHAUHAUAHUA

    ResponderExcluir
  2. Se é gemea de ramos na escrita, posso ter certeza, você é muito boa. *-* haha
    Na verdade, quis ter certeza e vim então ler a postagem, essa foi a primeira que eu li, e adorei.
    "Seria como um refúgio, um lugar só meu, de mais ninguém."

    eu queria um refúgio... mas, deixa ^^
    otimo post, adorei, vou voltar a ler :}

    ResponderExcluir