Se quiser, venha comigo. Vou lhe contar uma história. Vou lhe mostrar uma coisa...

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010


Quantas pessoas existem por aí vivendo como se não fosse possível ter sentimentos porque um dia foram magoadas. As pessoas mais duronas, que parecem indiferentes ao amor, carinho e ternura, são pessoas endurecidas pela vida. São vítimas de uma dor que não souberam gerir. Uma empresa mal administrada vai à falência; um coração mal dirigido vai à ruína. Há pessoas que calejam nosso coração. Fazem parte da nossa vida e as amamos, mas nos fazem mal. Tanto e tanto que acabamos fechando aos poucos as portas do nosso coração a outras possibilidades. Temos edifícios mais altos e estradas mais largas. Gastamos mais, porém desfrutamos menos. Temos casas grandes, porém famílias menores. Temos mais compromissos, porém menos tempo. Aumentamos nossos bens e reduzimos nossos valores humanos. Falamos muito, amamos pouco e odiamos demais. Fomos à Lua e temos problemas para atravessar a rua e conhecer nosso vizinho. Não enxergamos as belezas do mundo, mas os defeitos das pessoas não passam despercebidos. Temos mais beleza física, porém falta beleza nas almas. Vivemos mais e morremos mais cedo por dentro. Temos muito, mas poucos tem valor verdadeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário