Se quiser, venha comigo. Vou lhe contar uma história. Vou lhe mostrar uma coisa...

sábado, 28 de novembro de 2009

Algumas pessoas têm dito que eu só penso em coisas tristes, e que esse blog será uma bela 'fossa'. Só que eu nunca fui uma boa pessoa para escrever textos felizes, otimistas nem engraçados. A amiga da minha mãe conversou com ela, preocupada que eu fosse doente da cabeça, aconselhando que ela me levasse a algum psicólogo para corrigir meu problema. “Ela sofreu algum trauma, por acaso? Perdeu alguém que gostasse muito?” Não, oras. Assim como há aqueles que escrevem crônicas engraçadíssimas capaz de matar alguém de tanto rir, há aqueles também que preferem escrever textos mais tristes, mais pessimistas. Até onde isto interfere na minha personalidade, no meu modo de viver, eu não sei. Não sou e nunca fui alguém depressiva com tendências suicidas. Estou bem, obrigada. Se estou passando por um momento 'o-mundo-não-merece-certas-coisas' . Mesmo que não estivesse, não saberia escrever pra expressar quão feliz eu estaria. A alegria é algo tão complexo que é impossível de se definir em palavras. Talvez a tristeza seja mais fácil, palpável. real. Mas enfim, pra esse povo parar de reclamar, vou contar uma piadinha.

Era uma vez um pintinho sem uma perna. Ele foi ciscar e caiu.
Pronto... felizes agora?

Nenhum comentário:

Postar um comentário